40 anos de RIG no País

por Fabio Ventura

Jornalista. Já trabalhou no jornal O Estado de S. Paulo, TV Integração, TV Tem e EPTV. Conquistou os prêmios Abag de jornalismo (3 vezes), Sebrae, Mapa e Senac.

Há 40 anos, o campeonato brasileiro de futebol foi disputado com 94 times, Margareth Thatcher se tornou a primeira-ministra do Reino Unido e o icônico álbum The Wall, da banda Pink Floyd, foi lançado. Na velocidade digital, quatro décadas soam anos-luz distantes, mas não apagam instituições, apenas as aprimoram.

Também em 1979, mais precisamente no dia 15 de julho, poucas semanas antes da Lei da Anistia, foi criada a Umbelino Lôbo, uma das primeiras consultorias em Relações Institucionais e Governamentais (RIG) do País e que segue firme como uma mais conceituadas empresas da área.

Para falar sobre tantas mudanças nestes 40 anos e também sobre os desafios e oportunidades atuais para a Umbelino Lôbo e para os profissionais de RIG, o Blog Tudo é Política conversou com Antônio Marcos, diretor-superintendente da empresa, e um dos decanos da atividade no País. Boa leitura!

A Umbelino Lôbo está completando 40 anos de atividades. Quais são os principais pilares para manter uma empresa da área de RIG relevante por tanto tempo, em meio a diferentes contextos econômicos e políticos?

Nestes 40 anos, acompanhamos 11 legislaturas e o governo de 9 presidentes diferentes, a posse de 2985 deputados federais e 662 senadores da república, a nomeação e o trabalho desempenhado por 607 ministros de estado (dados do início do ano de 2019). Experienciamos a criação de 5 moedas, o desenvolvimento de dois processos de impeachment, a transição para o regime democrático e os debates que resultaram na atual constituição da república. Realmente, foram muitas as transformações políticas, econômicas e sociais.

Para manter as atividades por tanto tempo em meio a uma sociedade tão dinâmica, é preciso ter um propósito e diretrizes de atuação claras e consistentes, pois o mundo continuará a se transformar e, ao que parece, de forma cada vez mais veloz e estrutural.

A Umbelino Lôbo nasceu porque acredita que, mais do que um direito legítimo, é dever de todos os setores contribuírem para a construção de uma sociedade mais próspera. No Brasil, atualmente, essa postura encontra respaldo na própria Constituição Federal que instituiu um regime democrático representativo e participativo.

Como principal diretriz na condução desse propósito, é imprescindível optar pela postura transparente e pela disposição ao diálogo, respaldados sempre pelo conteúdo técnico, pela informação oficial e pela ética.

E, por último, é necessário estar disposto a aprender. O principal objetivo da atividade de RIG é construir canais de comunicação que viabilizem o desenvolvimento de políticas públicas, ações e espaços que contribuam para a efetivação de direitos e o progresso da sociedade. Assim, atuamos em um ambiente complexo e dinâmico, o que demanda a disposição em sempre rever processos, buscar novos conhecimentos e, principalmente, escutar as demais partes.

A Umbelino Lôbo é pioneira em consultoria na área de RIG no País?

Nunca fizemos um levantamento específico sobre isso. Mas não conhecemos outra consultoria com mais tempo de mercado.

Como você avalia o atual cenário para as empresas e profissionais da área de RIG?

Nos últimos 10 anos, o mercado cresceu bastante, o que confirma o caráter estratégico da atividade de RIG. Dentre as variáveis para esse movimento, consideramos duas principais: o processo natural de amadurecimento das instituições e dos processos no regime democrático; e a transformação na circulação e na disponibilização da informação, nossa principal matéria-prima.

Ao longo dos mais de 30 anos de vigência da atual constituição, houve a ampliação e o fortalecimento, de maneira mais ou menos constante, dos mecanismos institucionais de participação. A democracia é um processo e um exercício de diálogo entre diversos atores e seus interesses e é a partir desse movimento que ela se fortalece e consolida. De modo geral e baseados nas experiências vivenciadas e percepções construídas ao longo desses anos, identificamos algumas tendências no relacionamento entre atores públicos e privados:

  • Pautas: interesses sociais e direitos básicos saíram do segundo plano e, aos poucos, vão ganhando protagonismo como variáveis relevantes na legitimação de pleitos levados até o setor público;
  • Atores: a diversidade dos stakeholders envolvidos e que devem ser considerados cresceu, o que tornou o processo decisório mais complexo.
  • Relações: o relacionamento baseado em relações pessoais e privadas vêm perdendo espaço para o contato institucional pautado pela preocupação com a legitimidade de ação, ética e transparência.

Assim, a instituição do regime democrático representativo e participativo fortaleceu e deu ainda mais sentido ao desenvolvimento de atividades de RIG.

Já a alteração na disponibilização e na circulação de informações transformaram e transformam diariamente as potencialidades da área. Há 40 anos atrás, o monitoramento dos atos publicados no Diário Oficial da União (DOU), atividade básica de RIG, era realizada da seguinte forma: comprávamos a cópia física da publicação, recortávamos os atos de interesse de nossos clientes e enviávamos por correio. O surgimento do fax já foi uma pequena revolução, pois pelo menos a transmissão da informação passou a ocorrer de forma mais célere. Hoje, 2019, não existe mais cópia física do DOU e a captura das informações é realizada de forma automatizada por um robô. Cabe ao assessor apenas selecionar os atos de interesse com um clique e gerar o relatório com outro.

Assim, por algum tempo, em virtude da inexistência recursos tecnológico, grande parte das demandas de um profissional de RIG estava em coletar, sistematizar e circular essa informação. O surgimento de ferramentas que agilizam esse processo contribui para o desenvolvimento e a consolidação de outras potencialidades da área, como a elaboração de análise e informações de inteligência e a construção de canais e espaço de diálogos, essenciais para o desenvolvimento de uma sociedade democrática.

Qual é o perfil dos clientes atendidos pela Umbelino Lôbo?

A Umbelino Lôbo têm clientes de diferentes áreas, como empresas multinacionais e organizações representativas de classe. Alguns deles foram a razão pela qual começamos a trabalhar no campo das relações com o governo e eles ainda estão conosco. Com outros, temos uma parceria mais recente, que mostra o lado estratégico de trabalhar com relações institucionais e governamentais.

Tendo em mente a importância de uma relação cada vez mais transparente entre o público setor e sociedade civil, mantemos em nosso site a listagem dos nossos atuais clientes, que pode ser acessada nesse link: https://www.umbelino.com.br/clientes/

Quais são os princípios que pautam a interlocução da Umbelino Lôbo com instituições públicas e privadas?

A construção do relacionamento com os poderes públicos ocorre a partir da manutenção do diálogo transparente, ético e consistente. Nesse sentido, a apresentação de pleitos ao setor público deve observar alguns princípios e procedimentos:

  1. Alinhar internamente a decisão pela atuação em determinado tema: como já mencionamos, a consistência é uma dos princípios fundamentais no desenvolvimento da atividade de RIG.
  2. O pleito deve estar aliado aos interesses maiores da sociedade e não deve resultar em favorecimento indevido, privilégios ou levar à concorrência desleal.
  3. O pleito deve ser construído de forma clara e precisa e ter com base informações técnicas e a legislação vigente.
  4. Legitimidade.
  5. Manter o registro e formalizar as etapas de monitoramento e de atuação: esses procedimentos são fundamentais para a transparência do processo.
  6. Ter paciência e sempre estar disposto a ouvir as demais partes

Assim, o desenvolvimento e a consolidação dessa parceria devem ter como principal base a intersecção das prioridades da empresa/associação/entidade representada pelo RIG, dos processos decisórios e agenda do setor público e, principalmente, das demandas e necessidades sociais.

Como é o trabalho de monitoramento legislativo. Ele é automatizado?

Esse é um processo de trabalho que também se alterou bastante ao longo dos 40 anos da empresa. Antes da internet, tínhamos que ir até o Congresso Nacional para conseguir cópias de projetos e nos informar sobre seus andamentos.

Hoje, o trabalho de monitoramento é parte automatizado e parte manual. A identificação das proposições legislativas que podem vir a ser de interesse dos clientes é feita manualmente, diretamente no site nas Casas. Utilizamos o serviço do Sigalei como ferramenta complementar. Após análise das proposições, a equipe cadastra em um banco de dados, que armazena, de forma sincronizada com as Casas, as principais informações a respeito da tramitação.

Os projetos, após retorno de priorização dos clientes, podem ser cadastrados nos sites da Câmara e Senado, além do Sigalei. É por meio destas ferramentas que recebemos os alertas de movimentação dos projetos.

O cadastro dos projetos no banco de dados interno e do Sigalei norteia, ainda, a elaboração da pauta de acompanhamento para a semana. Esse trabalho é complementado com consulta aos sites das Casas para conhecimento das agendas de reuniões de comissões, Plenários e outros eventos.

A equipe acompanha in loco reuniões deliberativas das comissões temáticas e outros eventos realizados no Congresso Nacional. Os resultados coletados são encaminhados, a depender do grau de urgência e importância, tão logo o evento ocorra ou por meio de um documento consolidado encaminhado ao final da semana.

Para os próximos 40 anos (ou mais), quais são os principais desafios e oportunidades para a Umbelino Lôbo?

Acreditamos que um desafio transversal a qualquer empresa atualmente é, em um mundo de tantas possibilidades e caminhos, compreender quais fazem sentido para a sua história e para a consolidação de seu propósito. Esse é um exercício e um desafio diário, além de uma postura estratégica e necessária para não se perder. Como dissemos na primeira resposta, acreditamos que a clareza foi e é fundamental para o nosso percurso.

Outro desafio, que não é exclusivo da área de RIG, é processar, gerir e compreender dentre as inúmeras informações disponíveis, àquelas que contribuam efetivamente para a prestação de um serviço e a elaboração de um conteúdo de qualidade.

Ademais, apesar do crescimento da área de RIG, é visível que ainda existem ruídos sobre essa atividade e o papel de seus profissionais. Então acreditamos que mais que um desafio, é uma missão da Umbelino Lôbo, como uma pioneira na área, contribuir para a educação do mercado, de seus profissionais e clientes, tendo como base nossos aprendizados e o nosso percurso que exemplifica e nos dá a certeza de que é sim possível construir canais de interlocução com os diversos entes sociais e públicos baseados na ética, na transparência e na consistência. Nesse sentido, e como forma de materializar essa missão, reativamos esse ano nosso site e nossa página no Linkedin, nas quais publicamos periodicamente conteúdos relacionados à área de RIG, ao funcionamento dos Poderes Legislativo e Executivo e ao cenário político nacional.


Acompanhe nossas novidades!

Assine nossa newsletter e fique por dentro da política brasileira.